Usando o Tiny Tiny RSS no lugar do Google Reader

Algum tempo atrás eu testei e aprovei o Bloglines como agregador online de feeds, após ter ficado preocupado com a política de privacidade do Google. Mas existe uma coisa muito positiva em escrever blogs, que é receber o comentário dos leitores. E os leitores do artigo em inglês me alertaram para o fato de que o Bloglines (1) não está mais sendo desenvolvido há anos; e (2) é outro serviço fornecido por terceiros, e portanto potencialmente passível dos mesmos problemas de privacidade do Google. E mais ainda, os leitores me recomendaram uma opção: o Tiny Tiny RSS, ou tt-rss para os íntimos.

Captura de tela do Tiny Tiny RSS

Fonte: Tiny Tiny RSS (divulgação)

Até existe um servidor Tiny Tiny RSS para uso do público geral, mas ele não está aceitando novos usuários. De qualquer forma, um dos diferenciais do Tiny Tiny RSS é a possibilidade de instalar no próprio computador (local ou remoto), como no caso do Piwik. Não conheço qualquer serviço de hospedagem que facilite a instalação do aplicativo, então o negócio é usar a linha de comando. Da mesma forma que em outros aplicativos online, é necessário descompactar um arquivo dentro do diretório correspondendo ao URL onde você pretende acessar o Tiny Tiny RSS, e então criar um banco de dados MySQL ou PostgreSQL. A diferença é que o próprio tt-rss não é capaz de criar, no banco de dados, a estrutura de tabelas necessária. O usuário precisa fazer isso sozinho a partir de um arquivo de esquema distribuído junto do aplicativo.

Também é necessário editar à mão o arquivo de configuração, que é um pouco maior que o do WordPress. Existem duas possibilidades de atualização dos feeds no Tiny Tiny RSS: ele pode rodar como um daemon, ou pode atualizar periodicamente a partir de um cronjob. A DreamHost e, imagino, outros serviços de hospedagem compartilhada não permitem daemons de usuários, então no meu caso foi necessário configurar um cronjob. A maior dificuldade que tive na instalação foi a incompatibilidade do Tiny Tiny RSS com o PHP4. Essa incompatibilidade foi contornada seguindo as instruções oficiais, mas de qualquer forma em breve a DreamHost vai tornar o PHP5 a versão padrão.

Uma vez instalado, o Tiny Tiny RSS tem um conjunto de recursos semelhantes ao dos outros leitores online, exceto naturalmente pelo Google Buzz (leia também: Google Buzz pode ofender a privacidade dos usuários). Não pude avaliar adequadamente os recursos de interação entre usuários, porque optei por uma instalação em modo monousuário. Sei pelo menos que é possível selecionar artigos lidos para constar num feed gerado pelo usuário, e naturalmente outros usuários podem assinar esse feed.

Assim como o Bloglines e o Google Reader, o Tiny Tiny RSS não precisa carregar os feeds na hora em que o usuário resolve abrir o aplicativo. Se você instalar ele num computador remoto, como eu fiz, ele não vai responder aos pequenos comandos tão prontamente quanto os aplicativos instalados localmente, mas isso também vale para o Google Reader e para o Bloglines. A ideia de instalar o Tiny Tiny RSS num computador doméstico e deixá-lo rodando o tempo todo é atraente, e eu já fiz esse tipo de coisa, mas parei para economizar energia elétrica.

Para ser sincero, o Tiny Tiny RSS ainda pode amadurecer muito, por exemplo com instalação automatizada do esquema no banco de dados ou atualização automática, mas mesmo assim já é altamente usável. Por algum motivo obscuro, é o primeiro aplicativo online cujos comandos com o teclado eu me dispus a aprender; em geral, só uso o mouse. Nos aplicativos tradicionais é o contrário, uso o teclado sempre que possível.

O maior problema do Tiny Tiny RSS é que a maioria das pessoas não se diverte nem um pouco instalando aplicativos em computadores remotos. Mas acho interessante a ideia de escolas, empresas ou outras organizações terem instalações próprias do Tiny Tiny RSS, em que usuários tenham algo em comum e portanto tenham mais motivos para compartilhar artigos ou feeds interessantes. Outra possibilidade intrigante seria usar uma instalação do Tiny Tiny RSS como um servidor público, possivelmente monetizado através de anúncios. O difícil seria oferecer um diferencial, num mercado tão acirrado.

Por fim, eu gostaria de mencionar que, enquanto escrevia este artigo, fiquei sabendo do Gregarious, que tem a mesma proposta do Tiny Tiny RSS: um agregador de feeds em software livre, que a pessoa pode instalar em seu próprio computador (local ou remoto). Ao contrário do tt-rss, no entanto, o Gregarious parece não estar mais sendo desenvolvido: a última alteração do código-fonte foi realizada há um ano e meio.

3 respostas em “Usando o Tiny Tiny RSS no lugar do Google Reader

  1. Pingback: Tweets that mention Usando o Tiny Tiny RSS no lugar do Google Reader « Leonardo Fontenelle -- Topsy.com

  2. Olá Leonardo,

    Entrei só pra fazer um comentário sobre o Gregarious. Eu o usei por um tempo, mas o Tiny Tiny RSS é bem melhor, tanto visualmente quanto no funcionamento. Meu Gregarious vivia perdendo artigos, pois seu esquema de atualizações não funcionava bem no Dreamhost. Por isso, recomendo o TTR.

    Um abraço e até mais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s