Piwik: uma alternativa livre ao Google Analytics

Recentemente publiquei um artigo com duas alternativas ao Gmail, em função da recente declaração do SEO da Google menosprezando a privacidade dos usuários. (Veja também essa tirinha sobre a declaração.) Dando sequência ao meu intuito de substituir os serviços do Google por alternativas melhores, encontrei o Piwik, uma ferramenta livre e de código aberto para análise de tráfego web.

O Piwik tem uma diferença fundamental do Google Analytics e outros tantos serviços similares. Ele deve ser instalado pelo próprio usuário no servidor em que o website está hospedado. Na verdade, nada impede que uma pessoa use uma única instalação para o website de todos os seus clientes, mas não existe um serviço público como o do WordPress Stats, o Google Analytics ou o Clicky. Para instalar o Piwik é necessário ser capaz de criar ou gerenciar um banco de dados MySQL, bem como ter acesso SSH e/ou FTP ao computador remoto. É tão fácil quanto instalar o WordPress, por exemplo.

A vantagem de ter a própria instalação do Piwik é que os dados estão sob controle do usuário, podendo ser facilmente acessados não apenas através da instalação padrão do Piwik, mas também através de plug-ins públicos ou caseiros, ou até mesmo através de consultas diretas ao banco de dados. Além disso, o ganho em privacidade é óbvio.

Para que o Piwik receba as informações de acesso ao site, é necessário que todas as páginas relevantes tenham um determinado trecho de JavaScript. No caso do WordPress, isso pode ser feito através de um plug-in chamado Piwik Analytics. (Confira também o WP-Piwik.) Uma desvantagem do uso de JavaScript é que, se o navegador do usuário não tiver suporte a JavaScript, ou se o mesmo estiver desabilitado, não ocorrerá registro da visita. Uma alternativa, nesse caso, seria instalar o Awstats, que usa o registo do Apache, e também é livre.

Por outro lado, usar JavaScript tem a vantagem de possibilitar a obtenção de mais informação, como a hora de acesso no local do visitante (que não necessariamente é a mesma hora registrada no servidor), e a resolução do monitor de vídeo. O Piwik usa cookies para identificar visitantes recorrentes (que não estão visitando pela primeira vez), mas caso o navegador não tenha suporte a cookies o Piwik usa outras informações, como o endereço de IP, resolução da tela etc.

O Piwik apresenta as informações na forma de widgets, que estão agrupadas em páginas. A página inicial (dashboard) tem um conjunto predefinido de widgets, mas essa seleção pode ser personalizada. As widgets também podem ser inseridas nas páginas do website propriamente dito, por exemplo para serem vistas por anunciantes.

Um dos tipos mais comuns de widgets é a tabela, que também pode ser apresentado na forma de nuvens de etiquetas (tags), gráficos de barras e gráficos de setores (pizza). Outro tipo é a série de temporal, em que a variável desejada (por exemplo, o número de visitantes únicos) varia em função do tempo. O Piwik tem una forma muito interessante de agrupar várias séries temporais numa mesma página; vale a pena conferir. Ambos tipos podem ser exportados, por exemplo na forma de arquivos CSV ou imagens PNG ou GIF.

Cada página, inclusive a página inicial, pode exibir dados para um dia qualquer (ontem, por padrão), para uma semana, para um mês, ou para um ano. Quando os dados são do dia atual, eles são compilados em tempo real (na hora em que a página está sendo carregada), a não ser que o administrador defina uma frequência diferente, o que pode ser útil para sites de tráfego intenso. Novamente, existe uma forma muito engenhosa de se escolher o período a ser analisado: basta clicar na data ou no tipo de intervalo (“dia”, “semana” etc.).

Embora o Piwik esteja sendo desenvolvido há poucos anos, ele já é muito útil no mundo real. É possível ver, por exemplo, o número total de visitas, o número de visitas únicas, o número médio de ações por visita, e o tempo médio gasto no website por visitantes, tudo isso agrupado em função da origem do visitante: entrada direta, motor de busca, ou outro website. Existe ainda um plugin para acompanhar o atingimento de metas de monetização, assim como o recurso de acompanhar o sucesso de campanhas de marketing.

Eu não tenho condições de comparar diretamente o Piwik com o Google Analytics, porque nunca usei esse último, mas Diego Calleja publicou uma comparação (em espanhol). Mas a melhor forma mesmo de conhecer o Piwik é testá-lo nesta instalação de demonstração.

Depois de conferir o Piwik, não se esqueça de comentar o que achou!

2 respostas em “Piwik: uma alternativa livre ao Google Analytics

  1. Pingback: Tweets that mention Piwik: uma alternativa livre ao Google Analytics « Leonardo Fontenelle -- Topsy.com

  2. Pingback: Google Buzz pode ofender a privacidade dos usuários « Leonardo Fontenelle

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s