Estados Unidos impõem limites às patentes de software

A Linux Magazine Brasil nº 58 já pode ser baixada gratuitamente, e com ela fiquei sabendo que os Estados Unidos definiram em 24 de agosto de 2009 novas regras provisórias para a avaliação de pedidos de patente. A parte mais relevante é que software em si não é mais considerado invenção nos EUA.

Na prática, porém, “processos” podem ser considerados invenções, mesmo se contidos em software, na medida em que forem capazes de transformar um computador genérico em uma máquina capaz de desempenhar novas funções. Com isso, imagino que a lógica dos codecs de áudio e vídeo continue sendo patenteada.

Continuar lendo

Anúncios

Enter, Tab, e campos de texto com múltiplas linhas

Mais uma dica simples, na linha de pressionar Alt+F6 para alternar entre janelas de um mesmo aplicativo, ou clicar o botão do meio em barras de rolagem. Campos de texto podem aceitar ou não múltiplas linhas; quando eles aceitam, pressionar Tab ou Enter insere o caractere no campo de texto, em vez de mover o foco para o próximo controle ou acionar o botão padrão da janela, respectivamente. De acordo com as Diretrizes de Interface Humana do GNOME, nesses casos deve ser possível pressionar Control+Tab para mover o foco para o próximo controle, e Control+Enter para acionar o botão padrão da janela.

Acabei de descobrir isso por acaso, então imagino que divulgando a informação ajude mais alguém! 🙂

Danilo Gentili contra a Microsoft

Mês passado Danilo Gentili, do CQC, publicou em seu blog uma seleção de piadas. Tem uma que eu não pude deixar de repetir:

G1: “Em SP drogas são escondidas em notebooks.” Eu já sabia disso faz tempo. Se chama Windows.

Ficar demonizando a Microsoft é contraproducente. Mas uma provocação de vez em quando não faz mal a ninguém 🙂

Procuram-se textos livres escritos com a nova ortografia

A internet está cheia de coleções de textos (notícias, livros etc.) gratuitos, de domínio livre ou sob uma licença livre como as da Creative Commons. Mas eu preciso de algo escrito em linguagem atual (Machado de Assis que me perdoe) e seguindo o novo Acordo ortográfico da Língua Portuguesa, o que me restringe muito as opções. Quero colecionar esses textos de forma automatizada para compor um texto de treinamento para o Dasher e qualquer outro aplicativo com entrada preditiva de texto (como nos torpedos de celulares) e/ou completamento de palavras.

O Dasher já tem um texto de treinamento, mas na minha experiência o Dasher prevê (as próximas letras e palavras) muito melhor em inglês que em português>. Abrindo o texto de treinamento para português encontrei absurdos como «aspas angulares», e resolvi que o Dasher precisava de um novo texto de treinamento.

Continuar lendo

"Making off" da tradução de um poema

Para variar um pouco de tradução de software livre, sugiro esse depoimento de Millôr Fernandes sobre quando ele traduziu (para o português) um poema que Renato Russo havia escrito, em inglês, para Cazuza. Ao contrário de Marcelo Tas, reproduzo apenas um trecho abaixo, e deixo o resto da leitura para o excelente Millôr Online:

Com toda razão tendo opinião não muito lisonjeira a respeito do nível intelectual da maioria dos roqueiros, fui ficando admirado com a sutileza e justeza das observações de Renato e da perfeição com ele citava coisas em inglês — incluindo Shakespeare. Seu inglês era, definitivamente, melhor do que o meu. Até hoje não entendi porque me pediu a tradução. O poema foi incluído num de seus últimos CDs.

Dicionários para Aspell e Vim disponíveis para adoção

Além do meu afastamento iminente da equipe brasileira de tradução do GNOME, anuncio também que pretendo abandonar a tradução do vocabulário de português do Brasil para Aspell, e do vocabulário português (brasileiro + europeu) para Vim. Assumir um ou ambos vocabulários/léxicos/dicionários é uma forma simples de contribuir para a comunidade sem gastar muito tempo. É necessário ter alguma intimidade com a linha de comando, e um mínimo de inglês para entrar em contato se necessário com o mantenedor do Aspell (Kevin Atkinson) ou com o do Vim (Bram Moolenaar). O processo de trabalho está bem documentado, mas eu ajudarei no lançamento da primeira versão. Só não continuo a manter pessoalmente os dicionários porque assim espero colaborar para diminuir meu envolvimento com a produção de software livre, e com um pouco de sorte ficar bom da tendinite.

Interessados podem usar o formulário de contato do blog ou enviar um e-mail para leonardof em gnome ponto org.